Noticias

Beal: governo deve cortar gastos e diminuir impostos

Empresário no ramo alimentício há mais de 20 anos em Cascavel, Paulo Beal já foi vereador e participou do legislativo de Cascavel no período de 1997 a 2000. Atualmente está a frente da presidência do Sindilojas Cascavel e com grandes projetos de investimentos no ramo alimentício para a Capital do Estado. Diante da crise econômica enfrentada no país nesse início de ano, Paulo ressalta a preocupação dos empresários. “O sentimento é de preocupação, tem que haver mudanças o mais rápido possível, não tem como continuar assim. No mundo todo o combustível baixando e no Brasil subindo, a energia por descontrole e falta de planejamento também subindo, então isso tudo vai ter consequência, já está ocorrendo inflação e o governo está alheio a tudo isso, não está criando medidas que possam sanar isso, o que tem que cortar são os gastos do governo e não simplesmente aumentar impostos”, enfatizou o empresário. Questionado pelo jornal A Voz do Paraná sobre um futuro novamente na política, Paulo Beal disse que seu interesse é apenas no ramo empresarial “Nós temos um grande projeto de empresa. O grupo Beal está crescendo e cada vez mais exige a participação nossa a frente da empresa. Nós continuamos participando da politica a nível partidário, mas dizer que serei candidato a um cargo eletivo no futuro ainda é descartado”, comentou Paulo. Novos projetos para Curitiba e para Cascavel estão sendo desenvolvidos no constante trabalho de oferecer sempre o melhor aos clientes do Super Beal, rede genuinamente paranaense que mantém a visão empreendedora dos fundadores Severino e Lídia Beal. “Nós estamos com cinco lojas em Cascavel e cinco em Curitiba e bem posicionado tanto aqui como lá e a ideia é realmente focar nessas duas cidades, trabalhar bem e ter a condição de atender bem nosso consumidor, melhorar cada vez mais o nível das nossas lojas, em nível de produtos que são ofertados e projeto de investimento para esse ano, devemos abrir mais uma loja em Curitiba. Nós estamos sempre preocupados em atender cada vez melhor os nossos clientes”, finalizou o empresário. Leia, a seguir, a íntegra da entrevista: Jornal A Voz do Paraná - Qual é a sua avaliação sobre o Show Rural? Paulo Beal - É um evento que transcende as fronteiras de Cascavel, hoje é um evento internacional. A Coopavel e toda a equipe de colaboradores está de parabéns, porque a cada ano que passa a feira recebe investimentos e vem sendo melhorada. No Show Rural vemos implementos de todos os tipos, equipamentos dos mais modernos e o que acontece, o produtor rural hoje é um empresário rural, ele tem que se preparar, tem que se qualificar para poder tirar o que há de melhor em sua propriedade. O Evento é a oportunidade do homem do campo conhecer e experimentar o que há de melhor no mercado para aumentar a sua produtividade. Jornal A Voz do Paraná - De alguma maneira o grande número de visitantes do evento acaba influenciando na economia de Cascavel? Paulo – Com certeza, o reflexo é bastante positivo, nós temos nas semanas que antecedem o Show Rural Coopavel a parte de organização e funcionários que começam a montar os estandes, já há nesse momento um aquecimento na economia e durante o evento temos um grande público participando e prestigiando Cascavel. Hotéis, restaurantes e o comércio de um modo geral é beneficiado. O empresário cascavelense tem que se preparar cada ano que passa para poder atender a esse aumento da demanda. Dessa forma, podemos dizer que a feira contribui para o crescimento e o desenvolvimento do nosso município. Jornal A Voz do Paraná - O Show Rural traz visibilidade para a cidade? Paulo - É uma visibilidade positiva, porque Cascavel geralmente vira notícia quando aparece alguma “desgraça”, e no Show Rural Coopavel, Cascavel se destaca em nível nacional e internacional, aparece em jornais importantes que divulgam o que está acontecendo aqui e mostram um exemplo de como é fazer a coisa certa. Eu acho que é motivo de orgulho para nós cascavelenses estar podendo participar desse evento, que está aqui recebendo diversas autoridades, pessoas do Brasil todo que vem aqui e conhecer como é que se faz a coisa certa. Jornal A Voz do Paraná - O ano teve início com uma avalanche de aumentos nos preços da gasolina e diversos outros produtos que estão levando para cima a inflação. Qual o seu ponto de vista com relação a esses aumentos significativos? Paulo - De um modo geral, há uma grande preocupação do empresário nesse início de ano, foi realmente muito ruim, tivemos aumento na carga tributária, temos aumento na energia e agora combustíveis, há um descontrole. O sentimento é de preocupação, tem que haver mudanças o mais rápido possível, não tem como continuar assim. No mundo todo o combustível baixando e no Brasil subindo, a energia por descontrole e falta de planejamento também subindo, então isso tudo vai ter consequência, já está ocorrendo inflação e o governo está alheio a tudo isso, não está criando medidas que possam sanar esse cenário, o que tem que cortar são os gastos do governo e não simplesmente aumentar imposto. Jornal A Voz do Paraná - Qual é a expectativa do empresariado? Paulo - A preocupação é grande, o quadro não é positivo, todo mundo está revendo metas para esse ano, tem que fazer ajustes para que não haja surpresas. O recado é esse, não podemos ser irresponsáveis de fazer investimentos se não há uma certeza de retorno, devido a economia estar ruim. As taxas de juro subindo, impostos subindo e você não tem uma certeza que a economia vai andar bem. Jornal A Voz do Paraná - E essa situação reflete também na área de supermercado? Paulo - De um modo geral todas as áreas acabam tendo um reflexo negativo, essa insegurança é danosa e prejudica o mercado todo. Aguardamos que a coisa dê uma clareada, que haja mudanças rápidas. A Petrobras é um exemplo de empresa brasileira de sucesso e de repente está um mico, por falta de controle, falta de governo, falta de cuidado com um bem público. Jornal A Voz do Paraná - Você projeta futuramente voltar a participar da política? Paulo - Não. Nós temos um grande projeto de empresa. O grupo Beal está crescendo e cada vez mais exige a participação nossa a frente da empresa. Nós continuamos participando da politica a nível partidário, mas dizer que serei candidato a um cargo eletivo no futuro ainda é descartado. Jornal A Voz do Paraná - Em relação as suas empresas, há alguma projeção para um futuro próximo? Paulo - Nós estamos com cinco lojas em Cascavel, cinco em Curitiba e bem posicionado tanto aqui como lá. A ideia é realmente focar nessas duas cidades, trabalhar bem e ter a condição de atender nosso consumidor, melhorar cada vez mais o nível das nossas lojas, em nível de produtos que são ofertados. O projeto de investimento para esse ano é mais uma loja em Curitiba. Nós estamos sempre preocupados em atender cada vez melhor os nossos clientes. Nosso compromisso é com a qualidade dos produtos ofertados e com a excelência no atendimento dos nossos clientes e amigos.