Noticias

Projeto de Silvio Barros mobiliza sociedade cascavelense

Em visita à Cascavel na segunda-feira (23), o secretário de Planejamento e Coordenação Geral do governo do Paraná, Silvio Barros, ministrou uma palestra intitulada “O Futuro da Minha Cidade”, no auditório da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic). O evento, realizado por entidades associativistas, visa integrar a comunidade para participar de uma discussão tão importante para o desenvolvimento da cidade. Durante a palestra, Silvio Barros falou sobre a força do poder público organizado no planejamento de ações políticas da cidade. “O planejamento de longo prazo o governador me deu autorização para buscar implementar no modelo de Maringá, ou seja, fazer isso com a sociedade civil organizada, esta é a única coisa que eu acredito. Eu não acho que nós devíamos despender tempo, energia em recursos, fazendo planejamento de longo prazo contratado pelo governo, porque assim que mudar o governo e vier uma outra ideologia política isso pode ser jogado fora”, ressaltou o secretário em entrevista ao jornal A Voz do Paraná. O engenheiro civil e ex-prefeito de Maringá, Silvio Barros, está levando para a Secretaria de Planejamento projetos desenvolvidos e idealizados por ele, quando estava à frente da Prefeitura de Maringá, a exemplo do projeto “O Futuro da Minha Cidade”, baseado na experiência bem sucedida da cidade de Maringá, por meio do seu Conselho de Desenvolvimento Econômico (Codem), que tem como finalidade propor e executar política de desenvolvimento econômico, social e planejamento urbano. “Esse processo transformador, que leva em consideração o desenvolvimento econômico, a preservação do meio ambiente e condições de vida dignas para a população, requer um planejamento estratégico feito pela sociedade civil organizada e conduzido com o poder público, a partir do que for entendido como prioritário para a cidade”, complementou Silvio Barros. 2.034 Duas das principais provocações de Sílvio Barros aos presentes foram as seguintes: Cascavel está preparada para 2.034? Ela reconhece quais são os seus desafios e as suas oportunidades? A resposta, nos dois casos, citou o secretário, é depende. “Tudo está associado a como a cidade for analisada, planejada e quanto ao respeito às suas vocações”. Os líderes devem, afirmou Barros, agir como os protagonistas do futuro e não como reféns das mudanças. Não é o prefeito e o povo que devem decidir, e sim a sociedade por meio de suas forças organizadas, afirmou. As grandes transformações que Maringá colhe resultam de um sério período de dificuldades, de corrupção e de enormes desvios do dinheiro público. Para mudar a imagem da cidade, a sociedade se aliou e buscou soluções. Uma delas foi a criação de um conselho municipal de desenvolvimento, formado por 180 entidades. Eixos estruturais indispensáveis foram definidos e os candidatos a prefeito chamados para assinar um pacto pelo futuro. Não por uma gestão, mas por um trabalho que de longo prazo. Quanto maior o tempo de duração de um planejamento, mais seguras serão as chances de acerto, segundo Sílvio Barros. Diante de um projeto que envolve o interesse de todos, cabe à administração pública a humildade e a sabedoria de colocá-las em prática. Para definir o que se quer para o futuro é imprescindível conhecer o presente, acrescentou o secretário. Os cenários serão diferentes em 20, 30 anos e as corretas interpretações dessas mudanças podem surgir como oportunidades ou como desafios. Exemplo disso é a crise hídrica que atinge São Paulo e boa parte da região Sudeste. Há estudos que indicam que a região terá menor incidência de chuvas, e no Sul, ela será maior. Quarenta mil empresas estudam a mudança de seu endereço e o Paraná poderá ser a escolha óbvia. CENáRIO ESTADUAL E NACIONAL Diante da situação de crise enfrentada nesse início de ano no Paraná e no Brasil, Silvio garante que em breve o Estado irá superar esse momento crítico. “Está sendo um início muito difícil, porque o País está em uma conjunção complicada, à população está um pouco mal humorada com o governo Federal e o governo Estadual, em alguns lugares como é o caso de Curitiba com o próprio governo municipal. Então é difícil, existe muita demanda e pouco recursos o cenário econômico nacional não é favorável, então não existe perspectivas de que haja coisas impactantes para atender o que exige a sociedade, isso faz com que a gente tenha um começo complicado, mas acredito que em breve iremos superar esse momento crítico”, enfatizou o secretário. Leia, a seguir, a íntegra a entrevista com Silvio Barros: Jornal A Voz do Paraná - A sua experiência vitoriosa como prefeito de Maringá poderá ser implantada nos municípios do Paraná. Quais serão os grandes desafios à frente da Secretaria de Planejamento? Silvio Barros - O maior desafio neste momento é o processo de coordenação do governo. Eu hoje estou na Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral e precisamos imediatamente fazer com que todas as secretarias e todas as estruturas do governo trabalhem com um mesmo ideal, uma ajudando a outra, somando os esforços para que a possamos em projetos transversais fazer a diferença na vida dos paranaenses. Esse é o meu primeiro desafio e o mais importante e mais imediato, porque com isso já conseguiremos produzir um impacto positivo rapidamente. O segundo é fazer o planejamento, mas não o planejamento para gestão, mas sim o planejamento de longo prazo, aonde o Paraná quer chegar, qual é o futuro que nós paranaenses queremos desenhar para esse Estado no contexto que estamos vivendo, nacionalmente, politicamente, no contexto econômico global, no contexto das mudanças climáticas. Nós precisamos saber onde é que vamos nos posicionar em relação a isso. O terceiro desafio é o planejamento de curto prazo que é para essa gestão, como é que vamos nos organizar para alcançar até o final da gestão aquilo que o governador Beto Richa se comprometeu com a população paranaense. Nesta ordem, no planejamento de longo prazo, o governador me deu autorização para implementar o modelo de Maringá, ou seja, fazer isso com a sociedade civil organizada, esta é a única coisa que eu acredito. E eu disse claramente em Cascavel, não acho que devíamos despender tempo e energia em recursos, fazendo planejamento de longo prazo contratado pelo governo, porque assim que mudar o governo e vier uma outra ideologia política isso pode ser jogado fora. Jornal A Voz do Paraná - Para ter objetivos concretos é preciso debater com a sociedade? Silvio - Não apenas debate. É preciso que as propostas venham da sociedade, porque se nós não reconhecê-las, elas vão blindar essas sugestões contra a descontinuidade política, afinal de contas quem elege os governantes é a sociedade. Essa construção é o que precisamos fazer, aliás, é sobre isso que falamos durante a palestra. Esse mecanismo, esse modelo de planejamento de longo prazo é assumido com uma responsabilidade com a sociedade civil organizada e com a responsabilidade também de protegê-la e de preservá-la contra qualquer descontinuidade política partidária. Jornal A Voz do Paraná - Dentro desse contexto, o que pode se esperar de resultados a curto prazo? Silvio - Eu tenho muita segurança de que a Coordenação Geral de governo e todas as secretarias serão unidas, ao invés de cada uma ter a sua própria agenda, teremos prioridades comuns à todas. Se todas as secretarias trabalharem para dar identidade ao governo Beto Richa, vamos conseguir mostrar a sociedade, que existem benefícios palpáveis e perceptíveis no que o governo pode fazer pela comunidade paranaense. E é esse exatamente o trabalho que estamos desenvolvendo agora, organizando todas as ações das secretarias para isso. Jornal A Voz do Paraná - Como é que você está vendo esse início de governo Beto Richa? Silvio - Está sendo um início muito difícil, porque o País está em uma conjunção complicada. A população está um pouco mal humorada com o governo Federal e o governo Estadual, em alguns lugares, como é o caso de Curitiba com o próprio governo municipal. É difícil, existe muita demanda e poucos recursos. O cenário econômico nacional não é favorável, não existe perspectivas de que haja coisas impactantes para atender o que exige a sociedade, isso faz com que a gente tenha um começo complicado. A pauta reivindicatória do movimento grevista está sendo totalmente atendida pelo governo e eles não terão mais motivos para continuar esse movimento e nós vamos superar esse momento crítico. Jornal A Voz do Paraná - Certamente o Paraná vai ouvir e acompanhar o trabalho de Silvio Barros. O que o Estado pode esperar de você? Silvio - Absoluto compromisso com os interesses legítimos da sociedade paranaense e essa foi a única razão, acredito eu, do governador ter me chamado para essa pasta. Colocar o modelo que implantamos na cidade de Maringá à disposição do Estado do Paraná. Parceria entre o poder público e a sociedade civil organizada, foi assim que trabalhamos, foi assim que transformamos Maringá em uma cidade referência não apenas em obras, serviços e investimentos, mais na gestão fiscal. Nós viramos referência porque houve essa parceria. Acredito que devemos trabalhar agora em nível de Estado. É nessa direção que vou estar trabalhando.