Noticias

Toledo dá boas vindas a Universidade Federal do Paraná

Aproximadamente 1200 pessoas prestigiaram, na quarta-feira (29), a sanção da Lei “R” N° 34/2015 que autorizou a doação oficial da área de 34.619,75 metros quadrados que abrigará o campus da Universidade Federal do Paraná em Toledo. O ato, realizado no Recanto Verde Eventos, reuniu profissionais liberais, autoridades municipais e estaduais, prefeitos da região, representantes da reitoria e do Campus da UFPR de Palotina e a população em geral. O momento foi bastante comemorado por todos os presentes, principalmente pelo ex-deputado Elton Welter, que teve um papel importante durante os trâmites que envolveram a UFPR, o município de Toledo e o Ministério da Educação (MEC). “Quando procuramos o reitor Zaki (Akel Sobrinho) mostramos para ele nossa determinação de desejo de construir uma parceria sólida para que a nossa região contasse com as benesses de uma formação acadêmica na área da Medicina”, destacou Welter. A partir deste momento se estabeleceu uma relação de confiança, com agendas articuladas pela então ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, com o então ministro da Educação José Henrique Paim Fernandes. “Toledo e toda a região ganha com isso”, afirmou a secretária de Saúde de Toledo, Denise Campos. Outro profissional médico a destacar a relevância da ação foi o presidente da Associação Médica de Toledo (AMT), Leonardo Michaelis Schmidt. A vinda da formação em Medicina, segundo ele, reflete na qualificação da rede pública de saúde, mas também no setor privado. “Faço um registro especial ao prefeito Beto Lunitti, pela sua persistência e visão” destacou. Durante o ato de sanção da Lei, o vice-prefeito de Toledo, Adelar Hoslbach (Pelanka), afirmou que a vinda da UFPR para Toledo é fruto da soma de esforços de toda a comunidade toledana. “Foi por força da luta do Elton Welter, do Executivo e Legislativo Municipal, da Universidade, mas principalmente, por tudo que o povo toledano já construiu”. Um futuro sonhado pela sociedade toledana, segundo relatou o presidente da Câmara de Vereadores de Toledo, Ademar Dorfschmidt. “Os vereadores não se furtaram do compromisso de dar celeridade a votação que aprovou a doação do terreno”. Para os representantes da UFPR a expansão também é comemorada. O vice-reitor, Rogério Mulinari, afirmou que o momento é de felicidade. Mulinari falou sobre os últimos avanços da Universidade, “agora chegamos a Toledo com um compromisso social, com a abertura do segundo curso de Medicina da UFPR em Toledo”. Já o reitor Zaki Akel Sobrinho, primeiro destacou a infraestrutura que Toledo colocou a disposição da UFPR, depois acrescentou que já foi firmado o convênio com o Ministério da Educação (MEC) para a contratação de professores e técnicos administrativos. “A primeira exigência do MEC era que o município cedesse uma área e em Toledo a comunidade se mobilizou concretizando o sonho de toda uma região” concluiu. Ao final, o prefeito Beto Lunitti, de forma emocionada, agradeceu a todos os presentes e frisou a felicidade em ter a notícia da vinda da UFPR para Toledo. “Desde o primeiro momento nós acreditávamos e trabalhamos a perspectiva de um ambiente positivo e verdadeiro. Prevíamos que tudo começaria em 2016, mas isto já pode acontecer antes”. O prefeito toledano, em entrevista ao jornal A Voz do Paraná, destacou o momento histórico que vive Toledo. “Neste segundo século de história da UFPR (a instituição foi implantada em 1912 e é a primeira Universidade Federal do Brasil) estamos escrevendo a primeira página com a abertura um curso de Medicina fora de Curitiba”. Beto Lunitti replicou o discurso do reitor ao frisar que no local serão formados profissionais médicos e de outras áreas da saúde, tornando Toledo uma referência na área de ensino e pesquisa, auxiliando na ampliação dos serviços de saúde municipais e regionais. Leia, a seguir, a íntegra da entrevista com Beto Lunitti: Jornal A Voz do Paraná – Toledo se torna destaque nacional com a divulgação de que terá em futuro próximo vestibular para o curso de medicina... É uma grande conquista? Beto Lunitti - Desde o princípio em que estabelecemos o início do nosso governo, sabíamos onde queríamos chegar. Essa presença da Universidade Federal, não é por si só um ato isolado, ela compõe todo um processo de planejamento. Quando nós assumimos a gestão, toda a situação de fazer com que esse município tivesse rumo antes mesmo de assumirmos o governo, tivemos a comissão de transição e dentro da comissão uma câmara técnica de saúde, que apontou rumos para o setor. Dentro do plano de governo, com mais aquilo que os próprios servidores disseram, estabelecemos no início de uma adminitração que almejava o curso de medicina, o que norteou o nosso foco, para que hoje pudéssemos realizar a entrega oficial do terreno onde será a sede da instituição de ensino superior. Jornal A Voz do Paraná – É um marco na sua administração? Lunitti - Sem dúvida é uma grande marca. É importante que os líderes hoje, as pessoas que estão investidas em cargo de gestão pública, saibam reconhecer a história. Eu sei reconhecer a história daqueles que chegaram no ano de 1946, com todo o seu contexto e que transitaram por quase 70 anos, para termos a Toledo de hoje, junto com o seu povo. Então, tudo foi constituído para se ambientar no que hoje estamos colhendo. O marco do governo Beto Lunitti fica carimbado pela confiança da Universidade Federal, por aquilo que é o desejo de interiorização da UFPR, que é o desejo de extensão para o interior e uma coisa fundamental, ele se torna um marco efetivo de grandeza extrema que será sentido nas próximas décadas, porque após 100 anos de medicina na Universidade Federal do Paraná, nós, Toledo, construímos esse ambiente, para que a universidade pudesse dar esse passo e vir aqui com o campus e, principalmente, com o curso de Medicina, que transformará o município. Jornal A Voz do Paraná - É um momento histórico? Lunitti – É grandioso, muito bom, e se você olhar pelos aspectos da construção do conhecimento, para as questões que envolvem o desenvolvimento econômico, as interferências culturais, aquilo que vai produzir no sentimento do seio familiar e na formação das próprias crianças, é de uma tamanha grandeza, mas aqueles que gostam de olhar a vida pelo flanco econômico, os estudos observam que cada real investido em ensino superior se transforma no mínimo dobrado na economia. Uma universidade dessa envergadura propõe inúmeras reflexões e contempla todos os sentimentos e pensamentos, aqueles que são arraigados ao dinheiro e aqueles que são sonhadores e constroem sua vida em cima de utopias, então serve a todos os senhores. Jornal A Voz do Paraná - Diante de uma conquista de tal magnitude, qual é o sentimento que fica? Lunitti- Sentimento de felicidade e um sabor absoluto de vitória, de reconhecimento, aqueles que sempre confiaram em nós e também uma situação muito importante de compartilhar, a competência de todos que fazem parte do governo. É um sentimento absoluto, um degustar de todo esse processo. Os prefeitos são muito conscientes dos seus papéis, existem os tempos e os tempos passam, mas quando os tempos são para serem comemorados, comemoraos. Outros desafios irão surgir, este momento de alegria, de determinação tem que ser curtido agora, mas nós não podemos perder aquilo que é o apontamento do nosso time, do nosso governo, no sentido de estabelecer desenvolvimento sustentável para que isso traga satisfação e felicidade para as pessoas que vivem em Toledo. Nosso objetivo é melhorar a qualidade de vida da nossa população, com obras e ações que venham de encontro com o desenvolvimento do município. Jornal A Voz do Paraná - Seria utopia há tempos atrás pensar em um evento dessa grandeza para Toledo. No entanto, você superou todas as expectativas. O que o curso de Medicina representa realmente para Toledo? Lunitti - Me parece que o mundo está carente de utópicos, nós estamos muito calculistas, querendo agir por resultado imediato. A sociedade se constituiu, principalmente, o mundo ocidental, por esse capitalismo que está aí, tão arraigado, algumas vezes perverso, o capitalismo é o melhor regime que se tem e eu tenho defendido que ele precisa ser revisto, eu tenho uma utopia inclusive, em relação a isso, que ele seja um capitalismo social. Então, quando você fala em utopia, me permita que disso eu entendo um pouco, porque eu sempre fui um sonhador, se não fosse dessa forma, eu não iria disputar sete eleições, sendo quatro eleições para prefeito, não manteria sempre uma postura como sempre mantive na minha vida. A utopia é muito boa e ela torna-se realidade. Realmente nós podemos tratar o curso de Medicina em Toledo como um sonho, mas sempre no contexto seguinte, com o devido respeito aos ateus, aqueles que acreditam, precisam externar a sua crença, e eu creio que isso foi porque o nosso criador Jesus Cristo, tocou nos corações dos homens e das mulheres, que fizeram com que isso pudesse ser realidade no município de Toledo. Sou grato a tudo e a todos, estou muito feliz e compartilho essa alegria com vocês.