Noticias

Itaipu será apresentada como exemplo na Expo Milão 2015

O pavilhão do Brasil na Expo Milão 2015 vai mostrar a usina de Itaipu como exemplo da produção de energia elétrica renovável com sustentabilidade, no sábado (10) e domingo (11), respectivamente. Representando o governo brasileiro, a Itaipu vai apresentar, também, o setor elétrico do País como o de matriz energética mais limpa do mundo industrializado, graças principalmente à utilização dos recursos hídricos. A Expo Milão 2015 foi aberta em 1º de maio e prossegue até 31 de outubro, com previsão de receber mais de 25 milhões de visitantes em um espaço de 1 milhão de m². A apresentação dos “cases” brasileiros será no seminário Território, Água, Energia e Alimento e faz parte da programação de eventos preparada pelo Brasil para a Expo Milão. O pavilhão brasileiro tem 4 mil m², para exibições, atividades culturais e gastronômicas, seminários, eventos de negócios e de relacionamento. O tema do pavilhão é Alimentando o Mundo com Soluções, que tem a intenção de revelar a capacidade do país de ampliar a produção de alimentos com tecnologias inovadoras e de forma suficiente, saudável e sustentável, atendendo demandas mundiais. A Itaipu foi convidada para o evento, entre outros motivos, também, por estar diretamente conectada à Carta de Milão. O documento elaborado no evento aborda quatro temas, todos dentro do contexto do direito à alimentação. O debate abre espaço para os modelos econômicos e de produção que podem garantir o desenvolvimento sustentável dos alimentos. Pela contribuição no tema, a Itaipu já recebeu vários prêmios. Eletricidade Em relação à energia elétrica, a ideia do governo federal é apresentar ao mundo a visão brasileira aplicada pela Itaipu Binacional como modelo de gestão no que se refere a uma empresa de hidreletricidade comprometida com fatores como sustentabilidade, o território onde atua, as questões ambientais – com ênfase na conservação da água, as energias renováveis, o biogás e também a produção de alimentos. “É, sem dúvida, uma oportunidade ímpar para divulgar, em escala global, a exemplar matriz energética nacional, considerada a mais renovável do mundo industrializado, neste momento em que outras grandes nações firmam compromissos de longo prazo para prescindir ao máximo dos combustíveis fósseis em prol de energias renováveis”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek. Vencedora do prêmio internacional da ONU pelas melhores práticas de gestão da água em 2015, a usina de Itaipu servirá como exemplo de que a produção hidrelétrica pode ser feita com a máxima eficiência, respeitando a sustentabilidade ambiental, social e econômica, além de promover o desenvolvimento territorial. Programação O seminário foi aberto no sábado (10), às 15h, pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, que falou sobre o modelo de atuação da usina para o Sistema Elétrico Brasileiro e para o Oeste do Paraná. O superintendente de Energias Renováveis de Itaipu, Herlon Goelzer de Almeida, falou logo em seguida sobre Desenvolvimento Territorial e Energias Renováveis com ênfase em biogás/biometano. Entre as palestras, teve painéis e debates. No segundo dia 11 de outubro, o diretor de Coordenação e Meio Ambiente de Itaipu, Nelton Friedrich, abre a programação do seminário com o case Cultivando Água Boa, ganhador do prêmio ONU Água. Para o diretor, “a  participação de Itaipu na ExpoMilão tem um significado especial porque essa edição mundial histórica,  traz esse ano como eixos questões decisivas para a humanidade, que Itaipu já trabalha há muito tempo com consistência e exemplaridade”, destacou. A Expo Milão A expectativa é que a Expomilão, que tem a participação de mais de 140 países, receba em média 160 mil visitantes por dia, dos quais 30% de fora da Itália. Este ano, o destaque está sendo dado a cooperativas agrícolas, agricultores, empresas de alimentos e de logística e distribuição, além da indústria hoteleira e de centros de pesquisa. O pavilhão do Brasil está sob a responsabilidade de um grupo interministerial. A execução e a gestão do pavilhão estão a cargo da APEX Brasil – Agência Brasileira de Promoção das Exportações.