Noticias

Virada Cultural movimenta mais de 80 atrações em palcos de Toledo

A movimentação cultural do mês de novembro em Toledo já virou tradição. Há cinco edições, a Virada Cultural reúne dezenas de atrações, shows e atividades, espalhadas por diversos espaços públicos do município, todos de forma gratuita. Não foi diferente na Virada Cultural de Toledo 2015, que marcou o último final de semana com mais de 50 horas de muita cultura e contou com milhares de espectadores no decorrer do evento. Diferente das edições anteriores, o evento em 2015 não contou com a parceria do Estado e recebeu um investimento de aproximadamente R$ 160 mil por parte do município, para os oito dias de atividades organizados pela Secretaria de Cultura, contando com o Esquenta da Virada que iniciou no domingo (8). As ações aconteceram no Teatro Municipal, Unioeste, Praça Willy Barth, Biblioteca Pública Municipal, Museu Histórico Willy Barth, Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer e no Parque Ecológico Diva Paim Barth. A também contou também com ações em parceria com as secretarias de Educação, Assistência Social e Proteção à Família e de Esportes e Lazer. Nos palcos Diversidade e Pluralidade muita música agitou os toledanos e visitantes, que puderam curtir o melhor da música local, regional e shows nacionais como Cachorro Grande e Os Incríveis. Para a secretária de Cultura de Toledo, Rosselane Giordani, a missão tomada pela pasta em realizar a 5ª edição da Virada Cultural, com o propósito de valorizar os artistas e democratizar o acesso à cultura foi cumprida. “A Secretaria de Cultura entende que durante esses oito dias de atividades da Virada Cultural, ela cumpriu com o propósito de estar levando os artistas em diversos espaços do nosso município no sentido de valorizar-los e também no sentido de possibilitar o acesso gratuito da população às apresentações artísticas”, comentou. Rosselane ainda destacou os diversos espaços onde aconteceram intervenções artísticas. “Além dos palcos no Parque Ecológico, no Teatro, no Ondy, no Museu e na Biblioteca, tivemos intervenções em praças, na Feira do Produtor e nos terminais urbanos. Ou seja, nós levamos os artistas até o público para mudar o quotidiano da cidade e fazer com que as pessoas possam estar curtindo essas ações em espaços não tradicionais, cumprindo efetivamente com a missão de democratizar a cultura”, ressaltou. O artista toledano Cesar Armani, da Banda Enigma 77, comentou sobre a importância de realizar um evento como a Virada Cultural, por dar espaço e valorizar os artistas locais. “A Virada Cultural se tornou um marco para nosso município, então é um evento que tem que sempre acontecer. É uma oportunidade para os artistas locais que talvez não tenham um palco como esse para se apresentar. Uma estrutura bacana e uma equipe muito bem organizada que fazem o sucesso do evento”. Ainda segundo Cesar, tocar em casa é uma oportunidade agradável. “São poucos os shows que fazemos em Toledo, então tocar em casa é muito bom, pois podemos nos apresentar para nossos familiares e amigos. Essa participação faz a banda se sentir realizada e valorizada”. Antes do show que encerrou a noite de sábado (14), no Palco Pluralidade, os integrantes da banda Cachorro Grande destacaram, em coletiva de imprensa, que a iniciativa de realizar um evento como a Virada Cultural é muito positiva. “Estamos sempre comentando que com esse tipo de evento, o público ganha por ter acesso gratuito a tantas atrações. E nós também ganhamos, por apresentarmos para tantas pessoas ampliando nosso público”, afirmou o vocalista da banda, Beto Bruno. Ele ainda destacou o que esperava para o show. “A gente quer se divertir e divertir a galera. E gostamos de toar no Paraná, pois sentimos que o público tem um carinho especial pela banda”.