Noticias

Polícia procura suspeitos da morte de mãe na frente da filha no RS

Foi decretada a prisão dos três suspeitos de participar da série de assaltos que terminou com amorte de Cristine Fonseca Fagundes, 44 anos, na frente da filha, a poucos metros da escola Dom Bosco, na Zona Norte de Porto Alegre, onde aguardava o filho de 11 anos sair da aula. Os crimes ocorreram na quinta-feira (25). “Foi decretada a prisão dos outros dois, que não conseguimos pegar ainda, mas estamos realizando diligências. Já estivemos no Campo da Tuca, na Bom Jesus, mobilizei equipes, com o apoio do pessoal da Brigada Militar, e eles (os suspeitos) sabem o que fizeram, que é grave, e que não vão ficar impunes”, disse o delegado Alexandre Vieira em entrevista à Rádio Gaúcha. Cinco suspeitos do crime chegaram a ser detidos, mas apenas Fabrício Farias, de 20 anos, foi preso em flagrante. Ele havia deixado a cadeia em abril. Havia sido preso por roubo, e acabou solto. “Deve ter sido por bom comportamento”, ironizou o delegado, ao afirmar que há seis meses já tinha lavrado o flagrante Fabrício. Antes da morte de Cristine, segundo o delegado, o grupo praticou pelo menos outros seis assaltos no mesmo dia. Com a decretação da prisão, os dois suspeitos procurados são considerados foragidos. Conforme o delegado, após a conclusão do inquérito, os três devem ser indiciados por seis roubos e pelo latrocínio. Exoneração Horas depois da morte de Cristine, o governo do estado do Rio Grande do Sul divulgou nota para informar que o secretário de Segurança Pública, Wantuir Jacini, havia pedido demissão do cargo. Foi determinada, então, a criação de um gabinete de crise que será coordenado pelo vice-governador José Paulo Cairoli até que seja anunciado um novo nome para ocupar a pasta da segurança. Enquanto o governador anunciava as medidas,um grupo protestava em frente ao prédioonde mora Sartori. Força Nacional Durante a madrugada desta sexta-feira (26), o governo gaúcho divulgou uma nova nota na qual informava que vai pedir ao governo federal ajuda da Força Nacional para fazer a guarda externa dos presídios. Com isso, o executivo gaúcho pretende deslocar policiais militares que fazem esse serviço para o patrulhamento das ruas. O pedido da vinda da Força Nacional será apresentado na manhã desta sexta em encontro de Sartori com o presidente interino Michel Temer, em Brasília.