Cidades

Maior grupo de embaixadores já recebido por Itaipu chancela benchmarking ambiental da usina

Alemanha, Austrália, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Reino Unido e União Europeia poderão comprovar e propagar as boas práticas ambientais da usina de Itaipu para o mundo. Os nove embaixadores participam de uma visita de dois dias à usina e ao Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, na quinta (27) e sexta-feira (28), a convite dos ministros de Relações Exteriores, chanceler Carlos França, e de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, e do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira. É o maior grupo de embaixadores já recepcionado na Itaipu. O recorde anterior foi em 1993, quando representantes de cinco países estiveram simultaneamente na usina.

Participaram desta visita os embaixadores da Alemanha, Heiko Thoms; Austrália, Timothy Kane; Dinamarca, Nicolai Prytz; Espanha, Fernando García Casas; Estados Unidos, Todd Crawford Chapman; França, Brigitte Collet; Índia, Suresh Reddy; Reino Unido, Peter Wilson; e União Europeia, Ignacio Ybáñez Rubio.

O diretor-geral brasileiro, general Ferreira, deu as boas-vindas reforçando a grandiosidade da Itaipu não só na geração de energia. “Os senhores poderão ver que a empresa é também um agente de desenvolvimento econômico e social, especialmente da região de fronteira, além de ser um modelo de gestão ambiental”, afirmou.

Benchmarking em meio ambiente, Itaipu é reconhecida internacionalmente no setor e já recebeu o prêmio Water for Life, da Organização das Nações Unidas (ONU), na categoria “Melhores práticas em gestão da água”. As ações da usina serão apresentadas ao grupo nessa sexta-feira e, segundo o diretor de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell, “será uma oportunidade de mostrar nossas ações de preservação e recuperação do meio ambiente. Estamos preparando algumas surpresas”, revelou.

 

Expectativas

O embaixador da Alemanha, Heiko Thoms, chegou a postar em suas redes sociais uma selfie diante do avião, contando que estava a caminho de visitar Itaipu. “Sempre quis conhecer essa obra tão grandiosa”, disse ele. E lembrou: “empresas alemãs, como a Siemens e a Voith, construíram as turbinas da Itaipu. São parte dessa história. Isso mostra que a parceria entre nossos países no setor de energia vem de longa data.”

Ainda que indiretamente, a Itaipu Binacional teve papel importante na vida do embaixador dos Estados Unidos, Todd Crawford Chapman. O pai, proprietário de uma indústria de equipamentos elétricos, decidiu construir uma filial no Brasil, para vender para a usina que estava começando a sair do papel. “Vim com minha família para o Brasil em 1974, aos 11 anos, por causa da Itaipu. É incrível poder ver essa obra”, relatou Chapman.

Para ele, a opção dos ministérios de escolher a Itaipu como cenário para uma conversa sobre investimentos foi muito acertada. “Quando estamos aqui, vemos o que o Brasil já fez no passado e entendemos que ele ainda pode ir ainda mais longe no futuro”, afirmou.

 

Boas-vindas

Ao recepcionar os colegas embaixadores, o chanceler Carlos França lembrou a “engenharia diplomática” única que permitiu a criação da Itaipu. “Quando olharem para essa obra, que é exemplo de união para o mundo, lembrem do trabalho dos diplomatas, dos desafios de uma negociação entre dois países tão diferentes”, disse ele.

“Convidamos representantes de países com os quais o Brasil tem fortes laços econômicos e estratégicos”, afirmou o ministro Bento Albuquerque. “Esperamos, com essa visita, conversar sobre planejamento de sistemas elétricos, modernização e oportunidades de cooperação, para que possamos consolidar ainda mais esses laços. “

O governo brasileiro tem desenvolvido intensa agenda de cooperação internacional no setor de energia, com ênfase crescente em fontes limpas e renováveis. O setor de energia e mineração foi o que mais recebeu investimentos estrangeiros em 2020, sendo responsável por 26% do total dos investimentos externos realizados no Brasil, totalizando aproximadamente R$ 45 bilhões.

 

Roteiro

A programação da visita das autoridades teve início na Itaipu, com as boas-vindas e uma palestra sobre o setor energético brasileiro ministrada pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do MME, Paulo César Magalhães Domingues.

Em seguida, os visitantes partiram para uma visita a alguns dos principais pontos da usina. Entre eles, o Mirante Central, o alto da barragem, as catedrais de concreto, a Sala de Despacho de Carga, a Sala de Controle Central, eixo de uma das unidades geradoras e a galeria dos geradores.

Para esta sexta-feira (28) está previsto um tour pelo Refúgio Bela Vista da Itaipu. Além de uma apresentação sobre a Reserva da Biosfera, haverá visitas ao Hospital Veterinário, Viveiro de Mudas, Laboratório de Sementes e, por fim, a trilha do zoo, com visitas aos recintos das onças e das harpias.

Dependendo das condições meteorológicas, haverá ainda um passeio de barco pelo reservatório, com observação da faixa de proteção e apresentação das ações de usos múltiplos do reservatório, monitoramento da qualidade de água e sedimentos.

De volta à área da usina, o grupo acompanhará uma apresentação sobre o Núcleo de Pesquisa em Hidrogênio e o Centro Internacional de Energias Renováveis, com o general Garrido, diretor-superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR). Após o almoço, os embaixadores farão o plantio de árvores no Bosque dos Visitantes e, finalizando a agenda, partem para o Parque Nacional do Iguaçu.

 

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,7 bilhões de MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 11% de toda a energia consumida pelo Brasil e aproximadamente 90% do Paraguai.