Política

Beto Lunitti recebe visita de Dom Odilo Pedro Scherer

O prefeito Beto Lunitti recebeu, nesta quarta-feira (02), o arcebispo de São Paulo e primeiro vice-presidente do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam), cardeal Dom Odilo Pedro Scherer. O encontro aconteceu no Gabinete do Prefeito e contou com a presença do professor Flávio Scherer e dos membros da equipe de governo Jadyr Cláudio Donin (Fazenda) e Márcio Antônio Borges (Chefia de Gabinete).
O líder religioso visitou Toledo após alguns anos sem retornar ao município onde cresceu e iniciou sua vocação religiosa. Sua passagem pela cidade tem o intuito de reencontrar familiares e amigos. “Fiquei um tempo sem vir devido à pandemia, mas é preciso sempre retornar às nossas origens. É sempre um prazer vir aqui, tenho minhas raízes, meus familiares. Parte da minha vida passei aqui e vivi muitas coisas boas. Não foi uma decisão minha, mas pela missão e vocação fui sendo conduzido para outros lugares. Mas é sempre muito bom voltar porque Toledo está sempre se desenvolvendo e se consolidando”, comentou. 
Diversos assuntos estiveram nas conversas entre o religioso e os gestores municipais, em especial a educação, já que o irmão do cardeal, Flávio Scherer, é professor e sempre teve grande envolvimento com a área. “Toledo quer desencadear diversas ações voltadas para a educação. Hoje está muito segmentado entre estado e município. Queremos oferecer tecnologias para a rede municipal, mas desenvolver, junto ao estado, uma forma dos jovens que saem do âmbito de gestão da Secretaria Municipal de Educação (SMED) seguirem com o mesmo aparato ao seu dispor após a passagem pelas unidades mantidas pelo município”, comentou o prefeito Beto Lunitti. 
Sobre o atual momento, Dom Odilo afirma que o trabalho da Igreja Católica também se volta ao combate ao Coronavírus. De acordo com o cardeal, todos os setores têm se reinventado e as igrejas também precisam cumprir seu papel. “Temos colaborado principalmente na orientação sobre a gravidade da doença e importância dos cuidados preventivos. Além disso, também damos atenção aos pobres, que são as principais vítimas da pandemia. São Paulo tem muitas periferias e contam com nossas obras pastorais”, concluiu.