Agronegócio

Consumo de peixe cresce com variação de opções no varejo

O preparo de cardápios a base de peixes tem se popularizado. Prova disso é a crescente variedade nas redes supermercadistas. É possível encontrar pescados de diferentes espécies e origens nos congeladores, resultando ao brasileiro uma alimentação mais equilibrada e saudável. Com o propósito de estimular ainda mais o consumo de peixes e frutos do mar, de 1º a 15 de setembro é realizada a 18ª edição da Semana Nacional do Pescado, com ações que unem o setor, do campo até a indústria.

A produção de peixes de cultivo cresceu 5,9% no ano passado, alcançando mais de 800 mil toneladas, conforme a PeixeBR (Associação Brasileira de Piscicultura). A versatilidade, o sabor e a riqueza nutricional fizeram da tilápia o peixe preferido na hora das compras. O Brasil é o quarto maior produtor da espécie no mundo – muito perto do Egito (3º), que produziu 940 mil toneladas ano passado. “Temos muito potencial para crescer: possuímos água, terra, o clima é favorável para diferentes espécies. E há a indiscutível competência dos brasileiros para empreender, superar desafios e construir uma cadeia produtiva cada vez mais pujante e profissional”, ressalta Francisco Medeiros, presidente da PeixeBR.

O brasileiro consome em média 9,5 quilos de peixe por ano, conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No mundo, o consumo é de 20 quilos por habitante/ano. A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) recomenda que o ser humano ingira 12 quilos per capita ao ano.

Com consumo ainda consideravelmente baixo em comparação a outras proteínas, a tilápia tem grande espaço de crescimento. No mundo, o pescado é a proteína mais consumida. Com ampla variedade de cortes e praticidade no modo de preparo, a tilápia vem conquistando espaço. As receitas são simples e versáteis – atraindo quem gosta de uma refeição saborosa e rápida. “Nunca tivemos um crescimento tão rápido em uma empresa em uma atividade. A tendência em continuar assim, aumentando a oferta desta proteína que conquistou os brasileiros”, afirma Medeiros.

A intensa atuação da Copacol (Cooperativa Agroindustrial Consolata) na oferta de pescados em redes supermercadistas contribuiu na popularização da proteína nas regiões que antes não tinham hábito de incluí-la no prato, ao lado dos nossos tradicionais acompanhamentos. São três linhas diferentes de produtos: Tilápia, Mar e Rio. Além de tilápia, a Copacol oferece camarão, salmão, merluza, sardinha, cação, tambaqui e pintado. “Estamos em um mercado promissor, que tem grandes oportunidades no campo e na cidade. Quando ingressamos com a produção de tilápia, observamos uma forma de cooperar com nossos produtores. Hoje geramos mais de mil empregos diretos, avançando em produção e também na variedade de produtos, que geram renda no campo e na cidade”, afirma o diretor-presidente da Copacol, Valter Pitol.

 

EXEMPLO DE PRODUTIVIDADE

Consolidada como um caso de sucesso na geração de emprego e renda, desenvolvimento de tecnologias e venda do produto, a Copacol é responsável por 19% da produção paranaense, 6% das tilápias consumidas no País. Por ano são 32 mil toneladas vendidas pela Cooperativa. Ano passado foram 42,5 milhões de cabeças abatidas. No primeiro semestre de 2021 foram 22,5 milhões de cabeças de tilápias entregues, totalizando 20,1 mil toneladas. Com duas unidades industriais, uma em Nova Aurora e outra em Toledo, a meta da Cooperativa é chegar a 230 mil cabeças/dia em 2023.

 

DIA DE PEIXE

Conheça os produtos em copacol.com.br/produtos e veja as receitas maravilhosas a base de pescados em diadepeixe.com.br.