Cidades

Secretaria de Agricultura entrega triturador/picador de galhos urbanos para Três Barras do Paraná

O município de Três Barras do Paraná, por meio da secretaria de Agricultura, adquiriu um equipamento para a trituração completa de resíduos verdes urbanos, ou seja, dar a destinação correta aos galhos retirados durante a poda das árvores.

Até então, a população realizava as podas das árvores e jogavam os galhos na calçada, posteriormente os resíduos eram recolhidos pela equipe do setor de Serviços Urbanos, um problema antigo vivenciado pelas gestões municipais e que vinham em desencontro com as políticas ambientais.

O chefe do setor de Serviços Urbanos, Fernando Pauli, explica como o equipamento irá funcionar. “O triturador/picador será acoplado a um caminhão e vamos funcionar no modelo de ecoponto, atendendo toda a área urbana, dando uma atenção especial para a nossa população”, destacou.

Para o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, João Marcelino, é um passo inicial para deixar a cidade mais organizada. “É um passo importante para deixar a cidade mais limpa e organizada, sabemos que é preciso a conscientização da população para que esse trabalho funcione perfeitamente. Quero agradecer ao empenho do prefeito Gerso e do Nerceu que sempre dão autonomia de trabalho quando o objetivo é melhor atender a população tribarrense”, finalizou.

O equipamento com valor aproximado de R$ 245 mil, foi adquirido através do convênio com a Itaipu Binacional que é parceira do município e tem proporcionado grandes avanços para Três Barras do Paraná.

A engenheira ambiental do município, Alice Zanchetta, participou da entrega oficial do equipamento no Pátio de Máquinas e agradeceu a parceria da Itaipu. “Temos um convênio com a Itaipu Binacional e tem nos ajudado bastante nas demandas, principalmente ambientais, como a recuperação e preservação de nascentes, adequação de estradas, coleta seletiva e outras ações. Agora com o triturador evitará levar esses resíduos verdes até o antigo aterro, é o primeiro passo para outros projetos futuros que queremos colocar em prática, como por exemplo, um plano de arborização para a cidade”, concluiu.

A engenheira pede que a população não misture os resíduos verdes com resto de construção ou outros lixos, pois é comum encontrar nos sacos entulho misturado com folhas, o que dificulta o trabalho de separação.