Saúde

Prejuízos da má alimentação a saúde

Comer é um dos maiores prazeres que se pode sentir na vida, existem poucas sensações como a de fazer uma belíssima refeição, mesmo quando você não está com fome, afinal comer está diretamente ligado à nossa sobrevivência. Por outro lado, a alimentação inadequada e a ingestão excessiva de comida é uma questão de saúde preocupante", afirma Rita de Cássia Cassou Guimarães, otorrinolaringologista e otoneurologista.

A médica explica que os alimentos são fundamentais para o desenvolvimento, crescimento e manutenção do organismo. Eles fornecem os nutrientes necessários para manter todas as funções do corpo em dia. O problema é quando há ausência ou excesso de nutrientes ou elementos que prejudicam a saúde. "A má alimentação é responsável pelo aumento no número de pessoas obesas ou com sobrepeso e contribui para o surgimento de doenças, como diabetes, problemas cardiovasculares e hipertensão. O sedentarismo agrava o quadro", destaca.

Todo o organismo é afetado pela alimentação rica em gorduras, açúcares e sódio. O metabolismo fica alterado e as funções e sistemas do corpo podem ser prejudicados. Os ouvidos, por exemplo, são órgãos sensíveis, que sofrem com mudanças na corrente sanguínea. "As reações químicas entre os líquidos e as células presentes no ouvido interno são perturbadas com o excesso de sal. Já o excesso de glicose no sangue dificulta o transporte de nutrientes para os ouvidos. O excesso de açúcar e sódio ainda degenera as células auditivas com mais rapidez", evidencia.

O zumbido, um ruído interno que pode ser ouvido na cabeça ou nos ouvidos, pode ser desencadeado por mais de 200 fatores, inclusive pela dieta inadequada. O desequilíbrio alimentar favorece o surgimento do sintoma ou intensifica o ruído em pessoas que já sofrem com o problema. "O zumbido sinaliza que alguma coisa está errada dentro do organismo. É necessário fazer uma série de exames para diagnosticar as principais causas, detectar perda de audição, e descobrir a raiz do barulho que causa incômodos principalmente nos momentos de silêncio", observa.

No caso da alimentação, o paciente é orientado a fazer alguns testes para verificar se a percepção do zumbido reduz com a eliminação de algum alimento do cardápio. Se a comida tiver influência no ruído, o ideal é realizar uma reeducação alimentar com as orientações dadas pelo médico. "Cafeína, teína e gordura também são vilões dos ouvidos. Café, chocolate, refrigerantes, chá preto ou verde e chimarrão são itens que os pacientes com zumbido devem evitar para não piorar o quadro", ressalta Rita, coordenadora do Grupo de Informação a Pessoas com Zumbido de Curitiba (GIPZ Curitiba).