Cidades

Claudemir Camilo atua por um município mais desenvolvido

Para exercer a função de secretário de Governo, chefe de Gabinete e secretário de Finanças, o prefeito de Cafelândia, Culestino Kiara, escolheu Claudemir Camilo, que já trabalhou como comunicador, eletromecânico e torneiro, chefe do Ciretran e gerente administrativo. Com a junção de três importantes pastas da gestão, todos os despachos do Gabinete e da parte financeira do município passam pelas mãos de Claudemir Camilo, que, entre as suas atividades, planeja e coordena a política orçamentária, financeira e tributária de Cafelândia, estabelecendo programas, projetos e ações que promovam a justiça fiscal, que é fundamental para a equidade e justiça social. 
Além disso, Claudemir Camilo coordena a articulação política, visando o funcionamento eficiente e a integração do Executivo com a população. “Eu nasci em Cafelândia em 1984, e tenho orgulho, de hoje, poder contribuir e deixar uma marca junto com o prefeito Culestino Kiara, que pede para que a valorização do ser humano esteja acima de tudo. Sou um homem realizado, que também está realizando sonhos, com uma trajetória que passa do ofício de sorveteiro e garçom até candidato a vereador em 2012. Tenho um amor e um carinho enorme por essa cidade. Hoje, comando as pastas de Governo e Finanças e também a Chefia de Gabinete, lutando por dias melhores para a nossa gente”, salientou.
Claudemir Camilo defende a descentralização dos recursos da União, por meio do Pacto Federativo, que permitiria aos municípios maior autonomia financeira, dependendo menos de repasses para suas finanças. “O Pacto Federativo é muito positivo, porque faz com o que o imposto, com que todo o dinheiro do seu município seja administrado por quem realmente o povo confia, por quem realmente o povo entende, não que ele não confie em quem ele votou no governo Federal, não que ele não confie no governo do Estado, mas o prefeito está mais próximo do munícipe, o prefeito está mais próximo das necessidades das suas cidades. Acredito que se o Pacto Federativo for conduzido dessa forma, trabalhando com gestão, e vendo o dinheiro público como aplicação e não como gasto, será bastante produtivo”.
Com o olhar voltado para o futuro, Claudemir Camilo vislumbra até o final da gestão Culestino Kiara, “uma cidade que eu sempre sonhei, que sempre almejei e que sempre lutei para que acontecesse. Uma cidade que permite que a família tenha um espaço de lazer, uma cidade que realmente merece o valor que ela tem. Uma cidade que valoriza os idosos, os jovens e as crianças. Uma cidade pujante, de comércio forte, de geração de empregos e renda. Uma cidade desenvolvida, com atendimento de excelência em saúde, em agricultura, em educação e moradia. Estamos focados em construir a Cafelândia do futuro, desenvolvida e humana”.
Em entrevista ao jornal A Voz do Paraná, Claudemir Camilo, que tem o seu trabalho reconhecido pela população, destaca que “o prefeito Dr. Culestino Kiara é um ser humano de um coração imenso, pois olha para cada cafelandense de uma forma especial. Ele entende a necessidade da sua população”.
Leia, a seguir, a íntegra da entrevista:

 

Jornal A Voz do Paraná: Quem é Claudemir Camilo, secretário de Gabinete, Governo e Finanças?
Claudemir Camilo:
Eu nasci em Cafelândia em 1984, e tenho orgulho, de hoje, poder contribuir e deixar uma marca junto com o prefeito Culestino Kiara, que pede para que a valorização do ser humano esteja acima de tudo. Sou um homem realizado, que também está realizando sonhos, com uma trajetória que passa do ofício de sorveteiro e garçom até candidato a vereador em 2012. Tenho um amor e um carinho enorme por essa cidade. Hoje, comando as pastas de Governo e Finanças e também a Chefia de Gabinete, lutando por dias melhores para a nossa gente.

 

Jornal A Voz do Paraná: Qual é a diferença do setor privado para o público? 
Claudemir Camilo:
É o extremo. Eu acredito que se os poderes da União não reverem algumas leis, as pessoas de bem que queiram escrever uma história e deixar o seu legado, não vão mais se sujeitar a colocar o nome na política, porque você faz isso com boa intenção. No setor público, tudo depende de projetos, de buscar recursos. É preciso muito trabalho e dedicação para mudar a realidade de um município, para implementar obras, para conseguir investimentos. 

 

Jornal A Voz do Paraná: A burocracia atrapalha muito a atividade e o desempenho da função? É preciso maior agilidade, por exemplo?
Claudemir Camilo:
Sim! Eu acredito que o Estado e os prefeitos precisam se unir. As licitações são muito travadas. Você tem que trazer o trabalho dentro do Estado para próximo das prefeituras, você não precisa fazer isso limitado, regionalmente, mas faça isso, no mínimo, no Estado, para que essa dificuldade dos prefeitos, não só de Cafelândia, mas de todos os municípios, seja minimizada. Quando você é honesto, você não tem que trabalhar com medo,  você tem que trabalhar com respeito, mas a lei te trava, então, uma das maiores dificuldades é essa burocracia.

 

Jornal A Voz do Paraná: Como mudar essa realidade? 
Claudemir Camilo:
A empresa que ganhou a licitação e não atendeu a demanda ela deveria ser exclusa, deveria ser analisado o CNPJ, quem está por trás dessa empresa, acho que aí o Ministério Público tinha que agir, também verificar essa empresa, porque estamos falando de remédio que pode salvar vidas, estamos falando de toda uma estrutura, merenda escolar, entre outros.

 

Jornal A Voz do Paraná: E não o Ministério Público ficar correndo atrás dos prefeitos...
Claudemir Camilo:
Até deve fazer esse trabalho para trazer maior segurança à população. O prefeito Culestino Kiara diz que quanto mais as pessoas estão cuidando da sua vida, mais estão te ajudando, quanto mais o Legislativo e o Ministério Público cobram, mais se fica alerta, mas cobrar dos prefeitos algo que realente tenha ênfase. É preciso começar a punir essas empresas, começar a tirar esses CNPJs do mercado, para que as prefeituras possam ter tranquilidade. Acredito que cada estado deva receber o seu recurso, que precisa ficar nele, seria injusto o recurso do estado do Paraná ir para o Rio Grande do Sul, para o Tocantins, a arrecadação ficar centralizada. E os outros investimentos? Já tem o governo Federal e essa distribuição já cabe a ele, agora, nos municípios, teria que ter um olhar especial para essa questão de licitação, para que os prefeitos tenham mais tranquilidade para trabalhar.

 

Jornal A Voz do Paraná: Havia uma vontade do atual governo Federal de viabilizar o Pacto Federativo, que viria descentralizar a economia, os repasses, enfim, iria dar mais autonomia aos municípios e ao governo do Estado. Como você avalia esse quadro?
Claudemir Camilo:
Sim, tem dois pontos no Pacto Federativo, você descentralizar isso do governo Federal, você pode também estar, de certa forma, prejudicando aquele município pequeno e, com isso, você faz uma distribuição onde os municípios tem um certo investimento devido a sua população, devido a sua necessidade, mas o Pacto Federativo é muito positivo, porque faz com o que o imposto, com que todo o dinheiro do seu município seja administrado por quem realmente o povo confia, por quem realmente o povo entende, não que ele não confie em quem ele votou no governo Federal, não que ele não confie no governo do Estado, mas o prefeito está mais próximo do munícipe, o prefeito está mais próximo das necessidades das suas cidades. Acredito que se o Pacto Federativo for conduzido dessa forma, trabalhando com gestão, e vendo o dinheiro público como aplicação e não como gasto, será bastante produtivo.

 

Jornal A Voz do Paraná: Como é que você se sente atendendo o público e melhorando a qualidade de vida da população?
Claudemir Camilo:
Eu venho de uma família de classe média baixa, com várias necessidades dentro da saúde, mas uma coisa que meu pai sempre me ensinou foi ter respeito e amor ao próximo. Quando você consegue levar melhorias para uma sociedade, para a sua sociedade, para o seu povo, é muito gratificante. Quando se leva pavimentação asfáltica para as estradas rurais, onde o produtor que cuidou 45 dias do frango, não vai ter o sofrimento de ver o caminhão travado, porque ele não conseguiu sair da sua localidade, você sente-se feliz e realizado. O Claudemir Camilo se sente realizado em fazer parte de um governo honesto e transparente.

 

Jornal A Voz do Paraná: Como é que você enxerga Cafelândia ao final dessa gestão? 
Claudemir Camilo:
Uma cidade que eu sempre sonhei, que sempre almejei e que sempre lutei para que acontecesse. Uma cidade que permite que a família tenha um espaço de lazer, uma cidade que realmente merece o valor que ela tem. Uma cidade que valoriza os idosos, os jovens e as crianças. Uma cidade pujante, de comércio forte, de geração de empregos e renda. Uma cidade desenvolvida, com atendimento de excelência em saúde, em agricultura, em educação e moradia. Estamos focados em construir a Cafelândia do futuro, desenvolvida e humana.

 

Jornal A Voz do Paraná: Como você avalia a atuação do prefeito Culestino Kiara?
Claudemir Camilo:
O Dr. Culestino Kiara é um ser humano de um coração imenso, pois olha para cada cafelandense de uma forma especial. Ele entende a necessidade da sua população. Eu sempre digo que o Dr. Culestino foi salvador em duas ocasiões: logo que perdemos um dos grandes médicos do município, o Dr. Edison, e estávamos a mercê de quem viria para nos atender, chega o Culestino Kiara, que ninguém o conhecia, mas ele toma conta e cuida do hospital - que na época era terceirizado -, e faz a diferença. A Vigilância Sanitária acabou fechando o espaço e eu pude ver no olhar do Dr. Culestino a tristeza quando o hospital foi fechado. Eu vi choro, eu vi lágrimas, de um ser humano que eu estou aprendendo muito com ele. A outra oportunidade foi quando aceitou o convite para ser candidato a prefeito. Ele é um prefeito que eu não consigo mensurar o tamanho do amor que sente pelas pessoas.