Noticias

Traiano adere à campanha de combate à desinformação

“As notícias falsas replicadas na internet e nos aplicativos de mensagens relacionadas à política vêm contaminando o processo eleitoral brasileiro em pleitos recentes, o que acaba desconstruindo a imagem da nossa democracia e cerceando os cidadãos do direito de fazer suas próprias escolhas”, afirma o presidente da Assembleia legislativa do Paraná, o deputado Ademar Traiano. E é para combater qualquer tipo de desinformação que a Casa de Leis se une ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE/PR) e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na campanha com orientações aos eleitores, que foi lançada no Estado na sexta-feira (29).
 “Vamos utilizar todas as mídias e a capacidade de informação do Poder Legislativo para reforçar as orientações e nos somar aos órgãos eleitorais para combater as chamadas Fake News, que, infelizmente, vemos prosperar cada vez mais”, acrescenta o primeiro secretário da Casa de Leis, o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD).
Os parlamentares ressaltam que apoiam integralmente a decisão da Justiça Eleitoral de buscar parcerias institucionais para o enfrentamento e, assim, evitar a manipulação da opinião pública. “Precisamos ter eleições limpas e até aproveito para sugerir que a direção do TRE/PR convide o Poder Executivo para fazer parte desse combate de disseminação de notícias falsas, que eu costumo chamar de bom combate, afinal a democracia só é plena quando todos jogam dentro das regras e não podemos interferir na escolha democrática dos eleitores”, pontua Romanelli.  
A campanha, que acontece nos mesmos moldes da que foi formalizada com a Câmara dos Deputados, no início deste mês, prevê que as instituições parceiras se comprometam a promover atividades de orientação e de conscientização apontando como são ilegais, por exemplo, a prática de espalhar desinformação e o envio de disparo em massa de mensagens de propaganda política em desacordo com a legislação, entre outros compromissos. Além disso, elas precisam se comprometer em defender a integridade do processo eleitoral e da confiabilidade do sistema eletrônico de votação. Também devem divulgar conteúdos oficiais produzidos pelo TSE, incluindo serviços úteis ao eleitor como canais de denúncias.