Saúde

Ação social do Rotary leva calor e carinho para pacientes do CEONC

Ainda falta pouco mais de um mês para o início do inverno, que começa no dia 21 de junho, mas já é possível notar que o clima está mais frio nos últimos dias. Atento a isso, o Rotary Club Cascavel Maria Luíza se antecipou e preparou uma surpresa na manhã de sexta-feira (06) para os pacientes do CEONC Hospital do Câncer.

Na ação social denominada “Lãs que Afagam”, os voluntários do Rotary produziram 118 conjuntos de toucas e cachecóis para homens e mulheres, que deixaram mais quentinho o corpo e o coração dos pacientes que lutam diariamente contra a doença.

Para o presidente do Rotary Club Cascavel Maria Luíza, José Carlos Reami, o objetivo da ação social é proteger os pacientes do frio, estação que registra aumento nos números de casos gripais, hipotermia e até mesmo mortes. “Nós sabemos que o frio na região é bastante intenso e que muitas pessoas viajam de outras cidades para cá para fazer tratamento. Pensamos no frio que esses pacientes passam quando chegam de madrugada, no inverno, e precisam aguardar até a hora do seu atendimento”, explicou.

A ação social contagia não apenas quem recebe o presente, mas também quem proporciona este momento de alegria. “É um sentimento inexplicável, dar de si, sem pensar em si mesmo. Neste ano rotário 2021/2022, temos um lema internacional: servir para transformar vidas. Este pequeno gesto pode transformar uma vida e as pessoas podem se sentir acolhidas”, destacou o presidente.

Os voluntários do Rotary seguem produzindo mais conjuntos que deverão ser entregues antes do início do inverno. Além das toucas e cachecóis, os rotarianos estão produzindo turbantes, aquelas tiras de tecidos que são específicas para as mulheres. “Muitas pacientes perdem todos os cabelos durante o tratamento. Então, nós buscamos proteger e afagar um pouco o coração delas”, finalizou Reami.

O CEONC Hospital do Câncer é referência no diagnóstico e tratamento do câncer para o Oeste e Sudoeste do Paraná, e Sul do Mato Grosso do Sul. Diariamente, centenas de pacientes passam pelas unidades do CEONC.