Saúde

Governo amplia investimentos na Saúde Pública

O governo Ratinho Junior, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), investiu mais de R$ 18 bilhões em ações e programas para os paranaenses, sendo mais de R$ 13,1 bilhões somente do Tesouro do Estado, desde 2019. Os recursos abrangem uma série de aquisições, obras e repasses, além de programas voltados para a Atenção Materno Infantil, Saúde da Mulher, Cuidado com o Idoso, pandemia e reflexos do pós-pandemia.
Neste período, o governo do Estado formalizou a entrega de construções e reformas em pelo menos 35 hospitais e 223 Unidades Básicas de Saúde (UBS), além da entrega de três novos hospitais regionais em Guarapuava, Ivaiporã e Telêmaco Borba, reforçando a Rede de Atendimento Hospitalar do Paraná. Restam ainda, 772 obras em andamento, abrangendo mais de 70% dos municípios do Estado.
A ampliação do espaço físico e estrutural destes serviços possibilitou o atendimento de milhares de paranaenses durante os períodos mais críticos da pandemia da Covid-19, garantindo acesso de qualidade aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), e, agora, com a normalização dos índices da pandemia e a queda no número de internamentos, estas unidades permanecerão na rede.
O Paraná também terá novos Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs). O investimento estimado é de R$ 126 milhões e a expectativa é que pelo menos 183 mil consultas por mês sejam realizadas nessas unidades. Os municípios contemplados foram Campo Mourão, Cornélio Procópio, Paranavaí, União da Vitória, Ivaiporã, Irati, Cianorte, Paranaguá e Ponta Grossa.
Outro destaques tem sido a Qualificação dos Consórcios de Saúde, por meio do Qualicis. Criado com foco na regionalização dos serviços e no apoio aos municípios na oferta de consultas e exames especializados, o programa dobrou os investimentos, passando de R$ 30 milhões, em 2020, para R$ 60 milhões por ano. “É o maior investimento em Saúde das últimas décadas. Reforçamos as unidades próprias e apoiamos os municípios e suas equipes para ampliar o atendimento e descentralizar os serviços, reforçando a regionalização”, disse o secretário de Estado da Saúde, César Neves.
Agora, lembrou o secretário, o foco é na retomada das cirurgias eletivas, com investimento de R$ 150 milhões. O recurso é o maior repasse dos últimos anos e tem como objetivo diminuir a fila dos procedimentos cirúrgicos, principalmente após a suspensão destes atendimentos na fase mais crítica da pandemia. 
Dentre os programas em andamento, a atualização da Linha Materno Infantil garantiu um investimento de R$ 36 milhões para qualificação do parto, obras e equipamentos, reforçando os protocolos assistenciais. Além disso, a ampliação do PlanificaSUS para as 22 Regionais possibilitou a capacitação de mais profissionais de Saúde da Atenção Primária, reforçando especialmente o cuidado com a melhor idade. 
O governador Ratinho Junior  destaca  que o governo do Estado trabalha para regionalizar cada vez mais o atendimento médico via Sistema Único de Saúde (SUS), acabando com o que classifica como “turismo de ambulância”. “Desde o começo da gestão, em 2019, priorizamos a regionalização da saúde, fazer com que a saúde chegue mais perto da porta das pessoas”, disse Ratinho Junior.
VEÍCULOS
Ainda dentro da estratégia de regionalização da Saúde, o Estado entregou 1.485 automóveis para a Saúde da Família, na maior renovação da frota da história da pasta, com um investimento de mais de R$ 51,2 milhões, possibilitando o deslocamento dos profissionais de saúde para atendimento domiciliar, dentro da casa dos paranaenses. 
Os carros modelo gol, zero km, motor 1.0, com ar-condicionado, direção hidráulica e quatro portas, custam em média R$ 50 mil cada, mas com a licitação do Governo do Estado, garantiram uma economia de mais de R$ 23 milhões aos cofres públicos. Os veículos estão sendo utilizados para o atendimento de idosos, acamados e sequelados da Covid-19.
A Sesa também comprou 42 caminhonetes, num investimento de R$ 7 milhões, para reforçar a frota de campo das equipes de Vigilância Ambiental, que há mais de 10 anos não era atualizada. Os veículos modelo L200, fortalecem a estrutura e o trabalho destes profissionais como a captura e transporte de animais peçonhentos e a aspersão de inseticidas para controle de vetores, o chamado fumacê – utilizado para o combate à dengue.