Educação

Clínica-Escola comemora dois anos como referência em atendimento no espectro autista

“O Cetea é muito, muito importante mesmo para as crianças com autismo. Meu filho apresentou uma grande melhora, um desenvolvimento sem igual após o início dos atendimentos aqui na Clínica-Escola”. A afirmação foi feita pela Rodriana Lichinhoski, mãe de aluno do Cetea, a Clínica-Escola do Transtorno do Espectro Autista de Cascavel, que comemorou no dia 17 dois anos de atuação no Município.

O prefeito Leonaldo Paranhos celebrou o aniversário da instituição que já é referência nacional. “Eu classifico esta ação como um filho que a gente coloca no mundo com tanto amor e que precisa de acompanhamento da infância à idade adulta, e neste período todo, precisamos estar investindo e zelando, pois é uma ferramenta extraordinária. Fico muito feliz, porque Cascavel é a primeira cidade do Paraná e a segunda do País que enxergou esta necessidade para que pudéssemos transformar este espaço em uma política pública. É prazeroso termos uma Clínica-Escola com esta estrutura e o calibre que tem aqui, os nosso profissionais”, disse o prefeito Paranhos.

Clínica-Escola

A Clínica Escola para Pessoas com Transtorno do Espectro Autista foi implantada pelo decreto nº 15.239, em fevereiro de 2020. A Clínica-Escola desenvolve o trabalho já oferecido nos estabelecimentos de saúde e educação do município com um diferencial: a mudança no diagnóstico e no olhar sobre o transtorno do espectro autista.

Estima-se que 1,6% da população esteja dentro do espectro. “O Cetea é muito importante, porque temos um grupo de pacientes que há muito tempo necessitava de um atendimento diferenciado. O autismo é uma preocupação muito grande, cada vez mais crianças apresentam este quadro. Eles precisam muito de cuidados para se desenvolver de maneira correta, e assim, possam participar da sociedade como verdadeiros cidadãos. No próximo dia 19 teremos concurso para novos profissionais médicos, técnicos enfermeiros que vão fazer parte do quadro e  vai melhorar o atendimento na Clínica-Escola”, disse o secretário de saúde. Miroslau Bailak.

Dessa forma a Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria Municipal de Saúde deram início ao projeto voltado a atender as pessoas com autismo, tendo como finalidade o diagnóstico precoce, atendimento multiprofissional e promoção da escolarização.

Atualmente, são 60 alunos matriculados na escola e 100 pacientes em atendimento de neurologia, enfermagem, terapia ocupacional e nutrição. Além do fortalecimento de vínculo familiar, promove-se o acolhimento e orientação, atendendo não somente o usuário, mas também a família através de grupos de orientação e terapias complementares e integrativas. “Foram dois anos bastante importantes dentro do âmbito da Secretaria de Educação. Pretendemos agora, a partir de 2023, ampliar o atendimento em mais 50 vagas, passarão de 100 crianças atendidas no âmbito da educação”, avalia a secretária da educação,  Márcia Baldini.

A gerente da divisão de atenção à saúde mental, Ana Carolina do Nascimento, destacou a importância do Cetea. “As necessidades das crianças são diferentes e aqui no Cetea a gente consegue oferecer diversas abordagens para este tratamento. Especialidades como fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia, neurologia, psiquiatria, pedagogos com especialidades para atender as necessidades de cada um, tudo isso nós temos aqui”, conclui.