Noticias

Presidente do STJ visita Itaipu e destaca o papel da empresa para o desenvolvimento regional

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, visitou a Itaipu Binacional na quinta-feira (23) e destacou o papel da hidrelétrica para garantir a segurança energética do Brasil e Paraguai, sócios no empreendimento. Ele também falou sobre os diversos programas da empresa para a promoção do desenvolvimento regional, social e de proteção ao meio ambiente.
Segundo o ministro, que também é presidente do Conselho da Justiça Federal (CJF), a Itaipu contribui para a construção de um País mais justo e solidário. “É assim que se constrói uma nação: com muito trabalho, com muita determinação, com tecnologia, mas satisfazendo o interesse do seu povo”, afirmou.
Humberto Martins e comitiva foram recebidos pelo diretor-geral brasileiro, Anatalicio Risden Junior, e pelo diretor de Coordenação, Luiz Felipe Carbonell. Ele plantou uma árvore (jabuticabeira) no Bosque dos Visitantes e seguiu para a visita técnica à usina.
Na hidrelétrica, acompanhado por Risden, o ministro conheceu a Sala de Supervisão e Controle Central (CCR), observou o eixo da turbina em movimento, acompanhou os trabalhos de manutenção na caixa espiral da unidade geradora número 7 e desceu até a cota 40, no antigo leito do Rio Paraná. “Eu já estive na Itaipu algumas vezes, mas uma visita como essa é a primeira vez. Fico encantado e ao mesmo tempo vejo a grandeza e a pujança do Brasil”, afirmou.
Martins também comentou sobre a natureza jurídica de Itaipu, uma empresa binacional criada por tratado assinado por Brasil e Paraguai. “Para haver esse acordo de vontade de dois ou mais países, tem que ocorrer com segurança jurídica. E essa segurança jurídica é que faz com que outros países possam se espelhar no Brasil. Porque o Brasil está preparado, no campo da legislação, a exemplo do STJ, para dar essa estabilidade.”
Seminário em Foz
Humberto Martins esteve em Foz do Iguaçu para participar, ainda na noite de quarta-feira (24), do seminário "Segurança jurídica e desenvolvimento econômico”, no Centro Universitário UDC. O evento contou com apoio da Itaipu Binacional e de outras instituições e com a presença de alunos dos cursos de Direito e de Relações Internacionais. 
O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Anatalicio Risden Junior, foi um dos palestrantes e mencionou o Tratado de Itaipu, assinado em 1973 por Brasil e Paraguai, como exemplo de segurança jurídica e referência em acordos binacionais.