Noticias

Curso de Formação de Praças inicia atividades no Paraná

A Polícia Militar do Paraná deu início ao Curso de Formação de Praças (CFP) na terça-feira (2), na Academia Policial de Guatuapê, na cidade de São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Com a Capital, outras 23 cidades do Estado também iniciaram as atividades com os alunos-soldados, todas possuem o mesmo plano de ensino e carga horária.

Os 2.606 aprovados que participarão dessas atividades, realizaram a prova em anos anteriores, mas, por conta da pandemia, tomaram posse neste mês. O curso habilita a atuação como soldado de acordo com a Lei Estadual nº 5.940/1969 e terá duração de 10 meses. Dentre as disciplinas ministradas no curso estão: defesa pessoal, tática de confronto armado, gerenciamento de crises, legislação, dentre outras que são de caráter das atividades da Polícia Militar.

Esses soldados começam a atuar em dezembro e serão alocados para os locais do Estado onde há necessidade de maior policiamento podendo ou não, ser na mesma cidade onde realizaram o curso. “Eles vão para as viaturas em todas as unidades do Paraná para auxiliar no policiamento ostensivo e preventivo. Depois, encerram todas as matérias e, na formatura, já saberão para qual unidade serão designados após o curso”, explicou Darany Luiz Alves de Oliveira, comandante da Academia Policial Militar do Guatupê.

Kethylen Rothenburg Gomes de Lima, curitibana de 25 anos, comenta sobre as prioridades que têm no curso. “Aqui aprendemos demais a ter disciplina, a ter honra, ajudar o outro. Eu almejo servir, subir um degrau de cada vez e poder ajudar a todos”, disse.

O governador Ratinho Junior anunciou no mês de junho que haveria uma ampliação de mil vagas no concurso, chegando a um total de 3 mil aprovados de acordo com a classificação.

Já o secretário estadual de Segurança Pública, Wagner Mesquita, ressalta a importância dessa ampliação para a população paranaense “A presença do policiamento preventivo e ostensivo é muito importante. Assim que esses novos policiais estiverem prontos para ir para as ruas, a Polícia Militar terá um tempo de resposta menor e uma presença muito maior, e os crimes de ocasião tendem a cair muito”, concluiu.

O destaque no cronograma é a disciplina de Direitos Humanos, que faz parte do plano de ensino dos alunos há décadas e agora também será abordada de forma perpendicular nas demais disciplinas dos cursos da Polícia Militar além da inclusão da disciplina de Libras.

A incrementação de comissões para capacitar atendimentos de ocorrências que envolvam pessoas com transtornos do espectro de autismo (TEA) e combate ao assédio são as inovações dos cursos em andamento na corporação com o apoio de profissionais capacitados e especializados nestas áreas.