Noticias

Gastronomia de merendeiras do CAB atrai público do Mercado Municipal de Curitiba

A degustação de pratos preparados por merendeiras da Bacia Hidrográfica do Paraná 3 (BP3) atraiu as atenções no Mercado Municipal de Curitiba. O evento encerrou no sábado (19), a Exposição CAB na Copa. Os pratos oferecidos ao público fazem parte do livro ‘Receitas Saudáveis das Merendeiras da BP3’ – área de atuação do Programa Cultivando Água Boa – editado pela Itaipu. Todos são feitos a partir de produtos orgânicos, produzidos de forma sustentável pelos agricultores da região dos municípios lindeiros do Oeste do Paraná e da Bacia do Paraná 3. As merendeiras participam de um curso de capacitação com nutricionistas e chefs de cozinha e desenvolvem receitas com os alimentos que vêm da agricultura familiar orgânica. “A cada dois anos fazemos um concurso de pratos saudáveis desenvolvidos pelas merendeiras e as melhores receitas compõem o livro”, explica Sidney Carlos da Silva, da Assessoria da Diretoria de Coordenação. As receitas desenvolvidas fazem parte da merenda servida nas escolas municipais e estaduais dos municípios da região. “São receitas práticas, com baixo custo e que são facilmente inseridas na merenda e nas próprias casas das merendeiras”, conta Amanda Marfil, agricultora agroecológica e chef de cozinha que ministra os cursos para as merendeiras. “Valoriza o trabalho dessas excelentes profissionais; é saudável para os alunos e fortalece os agricultores agroecológicos dos municípios”, afirma Amanda. “Estou aprendendo muito sobre alimentação saudável e as crianças amam e repetem. Dá gosto trabalhar assim”, empolga-se a merendeira Mônica Fernandes, do CMEI Três Bandeiras, de Foz do Iguaçu, que veio especialmente para a degustação. Ela, que é professora formada, deixou de dar aulas para trabalhar com a alimentação das crianças e no fim deste ano pretende prestar vestibular para nutrição. “É uma honra para mim estar envolvida neste projeto”. A DEGUSTAÇÃO O estande com as comidas preparadas pelas merendeiras fez sucesso no Mercado Municipal. Muita gente provou os quitutes e aproveitou para trocar receitas com as profissionais. “Muitas vezes a gente tem as coisas em casa e não sabe como usar. Minha mãe tem açafrão plantado em casa e eu adorei a opção servida. Vou fazer esse patê de cenoura com açafrão e gengibre”, planeja a aposentada Sueli Oliveira, 61 anos. Para o advogado Rafael Cruz, 30, o projeto é também interessante do ponto de vista educacional. “Ensina as crianças desde pequenas, para que cresçam já gostando de uma alimentação mais saudável”, diz ele, que optou por uma alimentação mais natural já adulto. Sua namorada, a também advogada Isabel, 26, que está acostumada a comer de forma saudável desde pequena, aprovou. “Está uma delícia”, falou ao provar a tortinha crocante de legumes. Vários visitantes disseram que projetos desse tipo deveriam ser implantados em todo o estado. “A criançada está precisando comer bem. Elas estão ficando obesas, diabéticas. Uma boa alimentação melhora até o aprendizado”, lembrou a dona de casa Ana Maria Sato, 49, que visitou o estande junto com o marido Amélio Sato, 51, analista de sistemas.