Noticias

Químicas constantes podem causar danos irreversíveis aos cabelos

No mundo moderno, mulheres que querem mudar o visual, na maioria das vezes procuram um salão que seja de sua confiança ou por indicação de outras pessoas. Cuidado! Alguns perigos nas fórmulas químicas utilizadas nas colorações e progressivas podem prejudicar a vida dos fios, couro cabeludo e principalmente da sua autoestima. Ao invés de ajudar, você pode vir a cair numa cilada. A especialista em Tricologia Ortomolecular, Sandra Assis Maia, explica que quem faz relaxamento, progressiva ou trata os cabelos com qualquer outro tipo de química que interfira na estrutura capilar,  deve tomar cuidado com algumas tinturas e outros tratamentos. “Dois tipos de química nos cabelos podem ser muito agressivos aos fios. É importante verificar se os componentes químicos são compatíveis entre si. Por exemplo, tioglicolato de amônia e hidróxido de sódio são usados para alisar cabelo, portanto, não é aconselhado misturá-lo com luzes, reflexos e até com algumas colorações”, afirma. Os cabelos que sofrem lesões químicas podem ficar com aspecto de plástico, quebradiços, podem ocorrer irritações no couro cabeludo e até mesmo pequenas feridas e queimaduras. A química faz com que o cabelo perca proteínas, resistência e, a partir disso os danos causados pelos processos de tintura, escovas progressivas e outros procedimentos químicos faz com que pequenas alterações nas fibras capilares causam a quebra do cabelo. “Esses problemas acontecem por várias razões, como uso inadequado das químicas, sensibilidade aos ativos da fórmula e com o uso de mais de uma química no mesmo cabelo”, explica especialista. Os profissionais devem fazer testes da química em uma mecha pequena, antes da aplicação do produto, pois a tolerância dos fios (sensibilidade, fragilidade, etc.) podem prevenir riscos e verificar se o fio aguenta o produto. Deve ser feito sempre antes de qualquer procedimento químico ou quando o profissional considerar que aquele cabelo pode não ter condições de suportar a nova química. Procedimentos errados, além de ser prejudicial aos fios e couro cabeludo podem causar um dano ainda maior na estrutura mental da pessoa, levando ela a um desânimo, depressão e falta de autoestima. “O cabelo é como uma identidade pessoal, perder ele sem estar preparada pode levar a pessoa ao desespero. Um trabalho psicológico e um tratamento capilar com um profissional especializado em Tricologia Ortomolecular são essenciais para começar a mudar a autoestima da pessoa”, esclarece Sandra.